Coordenação de Assuntos Comunitários de Confresa se reúne pela segunda vez para discutir projetos social na cidade

O encontro foi realizado no início do mês (01/06) para dar andamento no projeto de intervenção na formação de Jovens e adolescentes.

Por Vip Araguaia 05/06/2022 - 10:53 hs
Foto: Marcola

Aconteceu no dia 01 de junho a segunda reunião promovida pela coordenação de Assuntos Comunitários de Confresa, sobre a direção do Padre Marco Antônio Gallo em vista da elaboração de um projeto de intervenção na formação de jovens e adolescentes por meio das instituições educacionais.

Nesse segundo encontro se fizeram presentes a equipe gestora pela pessoa do diretor professor João Paulo, da Escola 29 de julho, escola essa que será o ambiente para os primeiros passos do que pretende ser um projeto piloto de intervenção humanizadora por de uma atuação integrada dos agentes da promoção humana, além da gestão da escola, compareceram membros do Cras, Capes, Conselho Tutelar, o Delegado da Polícia Civil Dr. Higor, o sargento Castro Junior representando o CMDCA e a PM local.

Nesta reunião o diretor da Escola e o Delegado Dr. Higo reforçaram os assuntos que foram relatados no primeiro encontro, quanto aos fatos ocorridos com facções criminosas e a diminuição de brigas, abusos e ameaças dentro das salas de aula.


O conselheiro tutelar Eder Cunha, relatou a importância dessa atuação conjunta, pois na maioria das vezes as vítimas das diversas violências são antes de tudo, clientes de equipamentos públicos que fadigam por inúmeros motivos em cumprir sua missão.


O Padre Marco Antônio salientou que é necessário percebermos a massa com a qual queremos atuar, com uma profundidade antropológica que levará e conta toda a estrutura cultural e sociológica, que infelizmente tem se apresentado com uma brutal inversão de valores e desestruturação da experiencia afetiva, familiar e política.

O psicólogo do CAPES, Dr. Luiz Antônio relata que o índice de atendidos pelo equipamento que atua, de jovens e adolescentes com transtornos de ansiedade, automutilação bem como perca da identidade.

Por fim, ficou proposto a composição de uma comissão para elaboração de uma pesquisa psicossocial, para ser aplicada na escola, composta pelo Padre Marco Antônio que é filosofo e educador, o Dr. Luiz Antônio, Psicólogo, e a assistente Social Andreia que atua no Cras. A ideia é promover um movimento de autopercepção nos alunos, ao mesmo tempo em que os condutores da elaboração do projeto possam levantar questões, temáticas pertinentes aos focos que devem ser trabalhados.

Além disso ficou de responsabilidade da coordenação de assuntos comunitários, oficiar as secretarias municipais, de cultura, esporte e lazer, afim de ter conhecimento das políticas públicas que tem sido implementada para os adolescentes e jovens de Confresa.