A bem da Verdade...

...é muito triste a gente ver certas atitudes, meu Deus pra tanto isso, cortaram o pescoço do meu irmão, cortaram as duas pernas do meu irmão, tem condição a base disso, meu Deus (choro)” (transcrição de áudio emocionada divulgado nas redes sociais de uma irmã de Saulo)

Por Luís Claudio da Silva 29/06/2021 - 10:24 hs

Boa noite comunidade, a todos aí, ... é muito triste a gente ver certas atitudes, meu Deus pra tanto isso, cortaram o pescoço do meu irmão, cortaram as duas pernas do meu irmão, tem condição a base disso, meu Deus (choro)” (transcrição de áudio emocionada divulgado nas redes sociais de uma irmã de Saulo)

Saulo Daniel Alves dos Santos, jovem, empobrecido, usuário de drogas, homoafetivo, discriminado, violentado diversas vezes o que quase o levou a morte deixando sequelas para sempre em sua cabeça, filho da jovem Regina que criou seus muitos filhos e filhas praticamente sozinha, filho do Araguaia, encontrado enterrado e com corpo marcado pela violência às margens do Rio Araguaia, no Porto da Marcionila, onde inclusive na história da cidade as mulheres lavam suas roupas por lá. É encontrado em um dia daquelas ironias que a vida apresenta, no dia do orgulho LGBT, que coisa! Desterrado no dia do Orgulho gay. Em uma rede social um homem dizia publicamente “Saulo, aquele meio que metido a boiolado.” Revelando o que é de mais preconceituoso que há no ser humano. A Morte de Saulo traz o que há de pior no ser humano e o que há de melhor também, donde por outro lado várias mulheres, em suas sensibilidades uterinas falavam não ter dormido pensando nessa morte, mulheres também filhas do Araguaia, jovens, mães, empobrecidas que tiveram uma “sorte” melhor que a de Saulo, mulheres de mais idade que testemunharam outras mortes cruéis, violentas e que como mães, avós, esposas, se entristecem com tanto preconceito em um lugar que já foi melhor.

A bem da verdade, como se intitula o texto inspirado do meu amigo padre Jeronimo Gasques, do que o ser humano é capaz? O que há ainda de humano em alguém agir com tamanha crueldade no corpo desse jovem tão marcado? Como meu amigo Jeronimo também relutei em escrever algo sobre essa morte de um jovem que conheço, que vinha aqui em casa, que me dava um pouco de trabalho, mas, que a cada vinda me revelava o próprio Jesus que me visitava. Como se dizer cristão e cristã, frequentar um culto ou missa, ouvir a Palavra de Deus e marginalizar um homoafetivo e ter preconceito?

Como se dizer cristão e cristã e ter atitude que também me abalou por demais, ao ver policiais jogarem um corpo na viatura, desfalecido, muito ferido, como jogávamos uma banda de leitoa quando eu trabalhava em câmara fria com suínos e derivados? O que dá a policiais o direito em invadir a casa e agredir a esposa de Lázaro para obterem sua localização? A bem da Verdade: “Confesso que relutei, um pouco, para escrever o que segue. A bem da verdade as pessoas têm opiniões diversas sobre muitos assuntos. No que se refere à vida, um cristão não pode ter dúvidas ou opiniões pessoais ou diversas. Sabemos que vivemos um tempo onde pouco importa a vida. Matar, legítima defesa, exterminar uma pessoa – abate-la como animal - faz parte do nosso infeliz cotidiano. A vida vale tão pouco que tanto faz e desejamos limpar o mundo com o sangue derramado. Para outros: “bandido bom é bandido morto”! Que triste vida vivemos e, ainda, muitos se dizem cristãos e que oram e se ajoelham para pedir a Deus coisas para si. Matar não é uma proposta cristã para se proteger, conquanto em legitima defesa. Matar e se alegrar pela morte do pior inimigo que seja me parece não ser cabal ao estilo ético de viver. Abraçar, comemorar, bater palmas, dar glória a Deus, a justiça foi feita, Jesus fez misericordia e soltar rojões denota o nosso sentimento estragado pelo ódio que se aninha em mentes doentias. A misericórdia não tem a mínima chance de existir” (Pe. Jerônimo Gasques, in Presidente Prudente - SP).

A bem da verdade, clamo a Deus para que sua Misericordia infinita encontre lugar nos corações; que na etimologia essa palavra quer dizer Coração + pobre (no sentido de simplicidade).  Como disse acima meu irmão no ministério que vivemos um tempo onde pouco importa a vida.

Gratidão às mulheres que desabafaram comigo e que demonstram que ainda têm coração e que para elas a vida importa. Espero que Saulo tenha encontrado a sua paz e que nós outros encontremos a nossa.

Padre Jeronimo Gasques e Padre Luís Claudio